Coisas que perdi enquanto estive no seu mundo

Prometi a mim mesma que não iria escrever sobre isso. Talvez por ser bem mais que mera ficção ou por ainda doer. Prometi esperar um pouco, mas talvez se não fizesse agora, nunca mais o faria. A primeira coisa que faço quando vou escrever é escrever meu título, não sei se para não fugir do assunto ou para me lembrar de todas as coisas que perdi enquanto estive com você.

Sou uma camaleoa. Me adapto facilmente onde estiver. É meu ciclo, não o mais saudável do mundo, mas meu ciclo. Eu perco os meus na mesma intensidade que os conquisto, sempre foi assim. Me disseram para quebrar o ciclo, fugir da rotina que se tornou minha vida. Mas talvez eu seja essa rotina. Talvez eu seja essa contusão de ideias acumuladas buscando solução. Talvez eu seja a pessoa que nunca encara os problemas de frente, apenas foge.

Sou perfeccionista. Controladora. Tenho medo de errar, pois eles me destroem, acabam com minha autoestima. Às vezes nem tento, só vou quando estou pronta a errar menos. Mas na vida, nesse paraíso em que não há ensaios, eu erro, me perco, volto e me perco novamente. Até ser encontrada, até ser alcançada e perdoada. Não pelos outros, mas por mim mesma.

Você me pediu para me permitir errar, me libertar, não me culpar tanto, mas é tão difícil, foi difícil pensar em escrever um texto errado, é difícil mudar a ordem das coisas. É costume, rotina. Sou o incomodo com a porta aberta ou o celular fora do lugar. Meu desafio é contemplar a natureza pelo menos 15 minutos ao dia, acho que já estou devendo quase 1 hora. É difícil, não consigo me desligar.

Talvez não tenha falado ainda das coisas que perdi enquanto estive no seu mundo. Perdi tempo. Perdi carinho. Perdi atenção. Perdi amigos. Perdi ser mais educada. Perdi ser mais carinhosa. Perdi o jogo. Ele era descobrir até onde você iria, não fui até o final. Não quero descobrir até onde pessoas como você vai para conseguir o que quer. Tive o veneno necessário ao sofrimento. Seja uma boa amiga e continue assim, uma boa amiga.

Eu me perco facilmente. Sou curiosa, como disseram. Não percebo, e quando me toco estou no seu mundo, na sua poltrona vagamente inclinada a esquerda, com todos seus problemas no braço e um punhal nas minhas costas. Talvez você nunca perceba, mas você foi a pessoa que me mostrou que rostos bonitos também sentam no chão frio da tristeza.

Eu não quis perder mais nada, por isso me afastei. Cai da sua poltrona vazia e voltei ao meu mundo. Com cicatrizes, cortes e ferimentos, mas pronta a recomeçar e romper com meus ciclos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s